quarta-feira, 2 de junho de 2010

Noções Básicas de COLORIMETRIA


 Há tempos venho pensando em montar alguns tópicos como os que vi em outros sites : Pequenos guias com informações básicas sobre este ou aquele assunto.

Navegando e conversando pela net , percebi que tem bastante gente que, por não conhecer essas 'manhas' de numeração de tinta, volumagem de agua oxigenada, etc, acaba se enrolando, caindo na conversa de (infelizmente) maus profissionais, e as vezes terminando com resultados no mínimo indesejados.

Mas chega de bla bla bla. Vou dividir com vcs o que eu sei sobre colorimetria. Sintam-se à vontade para corrigir, e é claro, acrescentar informações vou tentar manter o artigo simples, pq geralmente apostilas de colorimetria são bem chatinhas de entender, e já ví gente sair chorando de aulas dessas rs

O que é Colorimetria:
Colori > Cor - Metria > Medir
A grosso modo, a colorimetria é o estudo das cores e suas composições. A colorimetria tem aplicação em todas as áreas que lida com cores, como a fotografia, arte digital, propaganda, entre muitas outras. Mas aqui vamos discutir a aplicação em colorações capilares ;)
Imagem

Por que usar a colorimetria para coloração de cabelos:
Ao compreender esses princípios, a pessoa é capaz de tomar melhores decisões quanto ao que quero para seus cabelos, e de prever possíveis resultados, prevenir resultados indesejados e corrigi-los quando necessário.


A estrutura do cabelo e como a tintura a modifica:
Sabemos que nosso fio de cabelo é composto por várias camadas sobrepostas, quase como uma cebola sendo descascada, mas o que nos interessa nesse momento é a divisão dessas em 3
camadas básicas:

ImagemImagem

1. A CUTÍCULA. É a parte externa. Formada de células planas ou escamas que se posicionam como telhas de um telhado.

2. A MEDULA. É a estrutura central do cabelo, parecida com uma coluna, com uma densidade celular baixa. A Medula tem uma importância relativa em comparação com as outras partes que compõem o cabelo, porque influi muito pouco no comportamento físico e químico da fibra.

3. O CÓRTEX. Estas células contêm os pigmentos que causam a origem da cor natural dos cabelos. O Córtex representa até 90% do peso natural da fibra.
Imagem


A cor dos cabelos se deve à melanina presente no córtex. Existem 2 tipos de melanina:
Eumelanina- onde predomina a cor castanhada ou preta.
Feomelanina- que constitui a cor vermelhada e amarelada.


Todos nós temos os dois tipos de melanina presentes nos cabelo, o que difere são as quantidades produzidas na raiz do cabelo. Essa produção é determinada geneticamente, mas pode sofrer oscilações ao longo da vida por alterações dos hormônios> puberdade, gravidez, menopausa, etc.
Para modificar a cor dos nossos cabelos, a ação da tintura abre as cutículas do fio – penetra na fibra capilar até o córtex que é onde estão os pigmentos naturais – degenera parte da pigmentação natural pela ação da água oxigenada, ao mesmo tempo que deposita os pigmentos da tintura em seu lugar.

A escolha da Água Oxigenada:
É imprescindível o uso de ox e tinta da mesma marca, e da mesma linha. Os produtos que são feitos para serem usados juntos são formulados em equilíbrio químico um com o outro.
Isso garante maior segurança no procedimento, e a certeza de que o resultado será bem próximo do esperado.
Imagem
A escolha da volumagem da água oxigenada depende do quanto você quer destruir da pigmentação natural para substituir pela artificial.
Quanto mais baixa a volumagem, menos a ox. Deteriora seus pigmentos naturais, e quanto mais alta, mais deteriora. É o que chamamos de abertura de tom. Quanto maior a deterioração, maior a abertura.

Darei mais detalhes sobre isso no final

Apesar disso, é difícil somente a tintura (com a ox que seja) retirar COMPLETAMENTE a pigmentação natural dos fios, mesmo em um cabelo já claro...a pigmentação natural que sobra é a que podemos ver (principalmente em loiros claros) quando a tintura desbota, e começa a aparecer o amarelado, o avermelhado, etc.

*Importante: nunca misturar volumagens diferentes de água oxigenada, por ex: ox 10vol com Ox 20vol não dao uma ox 15 vol. Na verdade elas reagem uma com a outra, perigosamente podendo resultar em uma volumagem absurda, como 50vol ou até mais O.O

O tipo de tintura :

Existem 3 tipos de tinturas > Permanentes, semi-permanentes e temporárias. Mas qual a diferença?
A diferença entre elas é principalmente o ‘tamanho’ (massa molecular) das moléculas dos pigmentos, que define sua capacidade de penetrar no fio de cabelo, ou seja, em qual camada ela irá se depositar...

Temporária > Moléculas grandes, não têm o poder de penetrar nos fios, depositando-se na superfície.Não se utiliza oxidantes na aplicação dessa tintura, em geral contém queratina e silicones que permitem que forme um ‘filme’ ao redor do fio de cabelo em toda sua extensão. Geralmente dura em torno de duas lavagens. É o caso de rinsagens, como o Keraton da Kert, que são usados em geral para neutralizar tons indesejados entre tinturas e dar brilho.

Semi-permanente > Moléculas médias, penetram na medula e parcialmente no córtex do cabelo e utiliza-se ox de 10volumes. Essa coloração não substitui os pigmentos naturais do cabelo, apenas acrescenta novos pigmentos, a mudança na cor dos fios é geralmente pequena e a coloração resultante pode resistir de 5 a 10 lavagens.

Permanente > Moléculas pequenas, penetram no córtex do cabelo. É utilizada com ox, cujo grau vai definir quanto do pigmento natural será substituído. É indicada para maiores mudanças e para cobrir cabelos brancos. Dura de 40 a 60 dias no fio, quando é necessário realizar retoque pelo crescimento da raiz e pelo desbotamento da cor, que pode ser mais pronunciado ou menos, dependendo da cor natural e da cor aplicada. É a tintura de cabelo comum.

O uso de descolorante:
Imagem
Como mencionei acima, a água oxigenada, por mais potente que seja, não é capaz de eliminar completamente o pigmento natural do fio. Por isso a cor natural influencia tanto no resultado da coloração. Quando se precisa retirar completamente (ou quase) os pigmentos do fio de cabelo, sejam eles naturais ou artificiais.

A remoção de pigmentos naturais (ou seja, descolorir cabelo virgem) é bem menos agressiva que a remoção de pigmentos de tinturas, principalmente quando a pessoa tinge há muitos anos, ou tinge com muita freqüência, e o cabelo está saturado de pigmentos.

Imagem

Reza a lenda, e ensina-se nos cursos, que a escolha da ox para descoloração é, quanto mais escuro o tom inicial, maior a volumagem,PORÉM, o que eles não dizem é que isso é apenas uma questão de quanto tempo o cabelo levará para descolorir. Uma descoloração com ox 20 teoricamente leva metade do tempo que uma com ox 10 leva para descolorir um cabelo.

Mas a pressa é inimiga da perfeição, e uma descoloração rápida além de abir muito a cuticula e estragar o cabelo,e pode ter como resultado uma descoloração desigual e deixar manchas.
Imagem
O grande segredo, é descolorir com ox de 10 vol, em uma mistura bem densa, quase sólida, que ativa o descolorante, mas não abre completamente a cutícula, e abafar com papel alumínio, pois assim o próprio calor gerado pela reação química do local não se dissipa e acaba por potencializar o resultado. Com essa descoloração mais suave e teoricamente mais lenta, o resultado obtido é o de uma descoloração uniforme e maior poder de controle de tom.

Os tons de descoloração:
Toda descoloração segue uma sequência de tons, qualquer que seja a cor inicial.
Preto>castanho>marrom> vermelho>cobre>amarelo>branco

Imagem

Comece a descoloração em qualquer ponto que for dessa escala, a sequência é sempre a mesma. E cuidado meninas, quando a descoloração está ali na casa do amarelo clarinho, pro branco, etc, muito cuidado viu! Porque se deixar mais do que o tempo necessário para a descoloração o cabelo não agüenta!!
Imagem
Aí é preto>vcastanho>marrom>vermelho>cobre>amarelo>branco>emborracha>cai
O.O

Outros cuidados:
Não se deve tentar clarear mais que 4 tons de uma vez, vai danificar muito o cabelo. Se necessário descolorir mais que isso, deve-se ir por etapas.
Não se deve realizar mais do que uma descoloração no espaço de 40 dias.

Sistema de numeração – como ler o numero das cores:
O formato da numeração das tintas, geralmente é composto de um numero, seguido de ponto, e seguido de um ou mais números. Ex: 6.31

O primeiro número, antes do ponto, indica a

altura do tom:
1-preto
2-castanho muito escuro
3-castanho escuro
4-castanho médio
5-castanho claro
6-louro escuro
7-louro médio
8-louro claro
9-louro muito claro
10-louro claríssimo
Imagem

Assim sendo, já sabemos que nosso número de exemplo, o 6.31, é um louro escuro. Mas e os outros números?

Os números depois do ponto indicam o reflexo da cor. Pra que tom ele vai pender, qual vai ser o tom que vc verá quando olhar o reflexo da luz no cabelo. O primeiro número depois do ponto é o reflexo principal, ou seja, temos maior concentração desse pigmento do que do pigmento do outro reflexo. Mais 3 do que 1. O segundo número é o reflexo secundário. Temos menor quantidade desse pigmento na tintura do que do outro, e ele existe para complementar, suavizar ou reforçar o reflexo primário.

Nuances:
1-cinza
2-irisado
3-Dourado
4-Cobre
5-acaju
6-vermelho
7-mate
8 e 9 – perola
Imagem

Então, no nosso exemplo, o 6,31, o reflexo primário é dourado, e o secundário é o cinza
Então temos um Louro Escuro Dourado Acinzentado.

As cores sem reflexos, como 6.0, são as cores-base. E as cores que possuem reflexo são cores fantasia, pois possuem os reflexos que não existem na pigmentação natural do cabelo, cores inventadas.

Que tal?

Agora que vc já sabe como ler, dê uma olhadinha nessa cartela de cores da Wella:
Imagem
é só clicar pra ver grande.

Podem haver algumas diferenças entre marcas, no que concerne a numeração dos reflexos. Mas no geral, a maioria segue os números que estou passando.


Sobre correção de cor – prevendo resultados e prevenindo desastres.
Aqui está uma das maiores vantagens em se ter pelo menos um pouquinho de conhecimento sobre colorimetria ^^
Imagem

Na colorimetria, cada reflexo usado corresponde à combinação de pigmentos de uma ou mais cores. Por exemplo: o cinza contem pigmentos azuis, então o representamos como azul. O irisado contém pigmentos azuis e vermelhos, que combinados, formam o violeta, então o representamos como violeta, capisce?

Então temos os pigmentos puros, representados por cores primárias: Azul, Amarelo, Vermelho
E os pigmentos compostos, representados por cores secundárias: Laranja, Violeta, Verde
Também separamos os tons entre quentes e frios. Os tons quentes são aqueles com grande saturação de pigmentos de cores de alta vibração. Podem ser usados para avivar as cores. Ex: Amarelo, Vermelho, Laranja
E os tons frios são os tons fechados, geralmente usados para equilibrar os tons quentes,deixando-os menos vibrantes. Ex: Azul, verde, violeta.

Imagem

A técnica de correção de cor baseia-se no fato de cada cor ter uma cor oposta (lembra de ficar muito tempo olhando pra algo verde, e quando desviava o olhar rápido para um papel em branco tinha a impressão de ele estar rosado? Então, é isso mesmo.)

Toda cor, quando aplicada sobre sua cor oposta tem o poder de neutralizá-la, assim possibilitando manter um equilíbrio de cor.
A importância desse equilíbrio de cor é que tons muito saturados de qualquer pigmento que seja são muito extremas, pesam na fisionomia, a não ser que a personalidade da pessoa peça por algo mais extremo.

Para sabermos o que neutraliza o que, usamos a Estrela de Oswald.
Imagem

Na qual as cores que se neutralizam ficam em pontas opostas da estrela:
Assim, se temos um cabelo que puxa muito pro vermelho, e queremos usar um marrom (que contém vermelho), podemos usar um tom de marrom que tenha reflexo mate (verde), para que o resultado final seja um marrom frio, fechado, ao invés de um marrom avermelhado.
Maravilha, não?? Bem, quase...

Logicamente temos de tomar alguns cuidados, principalmente com cabelos loiros. Quer queiramos escurecer ou clarear, ou manter o tom, devemos ser muito cuidadosos.
O cabelo loiro, conforme desbota, puxa pro amarelo, e as vezes puxa também pro cobre.

Imagem
A maioria das pessoas gosta do loiro acinzentado, então o primeiro impulso quando vc está se olhando no espelho e vendo uma caixa de Skol no lugar da cabeleira é o que?? Colocar um loiro acinzentado. Mas pense comigo, o cabelo está amarelo, e eu vou colocar um reflexo azul...hmmm....o que acontece quando misturamos amarelo com azul mesmo?? VERDE!!!!

Imagem

Então, pra loira não virar mulher samambaia, é importante prestar bem atenção no que coloca de reflexo. Por exemplo, vc quer quebrar alguns reflexos acobreados, mas também tem reflexos amarelos, então vc acrescenta uma tinta que tenha irisado e uma que tenha cinza em sua mistura.

Em equilíbrio é claro...para não puxar muito nem para um lado nem para o outro...

Por isso se deve sempre analizar bem quais os reflexos presentes no cabelo antes de optar por esta ou aquela nuance...para saber direitinho o que vc quer neutralizar e o que vc quer reforçar ^.~


Tintura em cabelos brancos:
Quando a pessoa não tem cabelos brancos, ou tem menos de 20% dos cabelos brancos, tudo bem usar só cores fantasia, e até misturebas de cores fantasia....Mas quando tem mais branquinhos, só a cor fantasia não dá conta que cobrir.
Imagem

Então é importante acrescentar uma base à tintura.
Por exemplo: D. Marcia, uma coroa enxutíssima, 43 anos, quer pintar seus cabelos de louro médio. Sua filha, Srta Xiquinha, de 24, quer pintar da mesma cor.
Ambas escolheram na cartela de cores uma linda nuance de 7.71...louro médio chocolate acinzentado...

Não podemos aplicar igual nas duas...temos que aplicar na filha o 7.71, e na mãe 7.71+7.0
A proporção de base que iremos colocar na mistura é determinada pela quantidade de cabelos brancos...
0 – 20% de brancos – pode-se aplicar só cor fantasia.
20 – 40% de brancos – aplica-se 3 partes de fantasia para 1 parte de base (ex: 45g de 7.71 para 15g de 7.0)
40 – 70% de brancos – aplica-se quantidades iguais de fantasia e base (ex: 25g 7.71 para 25g de 7.0)
70 - 100% de brancos – aplica-se uma parte de fantasia para 3 partes de base (ex: 10g 7.71 para 3'0g de 7.0)

E mesmo que vc misture mais de uma cor fantasia, o total de cor fantasia deve obedecer a proporção...

Por ex: D. Marcia trouxe também sua irmã, D.Karen, também enxutíssima e na mesma faixa etárea para colorir. Elas têm a mesma quantidade de brancos – 40% - só que Marcia quer manter o chocolate, enquanto Karen gostaria de colocar um toque de cobre, pois gosta de tons mais quentes...

Então para Marcia eu misturo 1 parte(30g) de base(7.0) para 1 parte(30g) de fantasia (7.71)
E para Karen misturamos 1 parte (30g) de base(7.0) para 1 parte de fantasia(15g 7.71 + 15g 7.4)


A quantidade de massa:
A quantidade de massa (massa pura, sem a ox) a ser utilizada é determinada pelo comprimento do cabelo.
ImagemImagem
3'0g é o suficiente para um cabelo de curto a médio e com volume de pouco a médio em uma tintura cuja proporção ox-tinta seja de 1 parte de tinta para 2 de ox (2:1)
Para um cabelo longo ou com mais volume, 60g

Com proporção 1:1 talvez vc precise de 45g de massa para um curto-médio e 90g para um medio-longo com volume.

A proporção de ox-tinta varia de uma marca para outra,e é muito importante ler a embalagem e obedecer a proporção recomendada para obter os melhores resultados possíveis.


Como medir a quantidade de massa/ox:
O ideal, mais econômico e mais eficiente é ter uma dessas balancinhas de cozinha.

Imagem
Nela, vc pesa o recipiente no qual vai misturar a tinta, anota. Soma o peso do recipiente à quantidade de tinta que vc precisa misturar. Anota o resultado.
Adiciona tinta no recipiente até que o numero que a balança acusar seja igual ao do resultado da continha anterior.
Pronto. Vc já tem a quantidade certa de massa.
Se a proporção de ox for 1:1, vc soma ao resultado anterior novamente o peso de massa que vc usou. Anota resultado.

E se a proporção for 1:2, vc soma o dobro da quantidade de massa que vc usou.
Coloca ox até que o nº que a balança acusar seja igual ao ultimo resultado.
Prontinho. Vc já tem a quantidade certa de produto. É só misturar bem e aplicar.
Imagem

Novamente Sobre a escolha da Agua Oxigenada:
É imprescindível o uso de ox e tinta da mesma marca, e da mesma linha. Os produtos que são feitos para serem usados juntos são formulados em equilíbrio químico um com o outro.
Isso garante maior segurança no procedimento, e a certeza de que o resultado será bem próximo do esperado.

Quando a volumagem:
10vol. > clarear 1 tom, tonalizar
20vol. > clarear 2 tons
3'0vol. > clarear 3 tons
40vol. > clarear 4 tons

Imagem
Quando falo em clarear tons, quero dizer da abertura do tom. De quanto do pigmento natural vai ser destruído para ser substituído pelos corantes da tintura.
Via de regra, a ox mais adequada para a maioria das colorações é a de 20vol. A de 10 é a que menos danifica, mas também não garante grande penetração dos pigmentos no fio. A de 20 danifica pouca coisa a mais que a de 10, e garante penetração dos pigmentos no fio, sem abrir demais o tom.
As vezes, quando o tom da tintura é muito diferente do fundo(cor natural) da pessoa, misturamos a massa pura e a dividimos em 2 partes. Em 1 parte usamos ox de 3'0 ou 40, e na outra misturamos ox de 20.
A mistura mais forte é aplicada na raiz, e a outra parte é aplicada na parte do cabelo já tingida, para repor o que desbotou.

Imagem
É o caso de quem tem cabelo bem escurinho e usa louros claros.
Quando o cabelo não desbotou muito, é bom passar a tinta só na raiz, deixar agir, e quando faltar 5 minutinhos para lavar, vc molhar o cabelo e distribuir o restante do produto por todo o cabelo, massageando bem, durante esses 5 minutos, e enxaguar.

Isso reaviva a cor e devolve o brilho, mas sem danificar as pontas. Usando essa técnica em todos os retoques, a não ser que o cabelo esteja muito desbotado e realmente precise, evitamos tanto o dano quanto a saturação do cabelo em tinta.


Meninas agora estava olhando minhas apostilas e vi mais alguns pontos importantes e decidi dividir com vocês quem sabe aqui algumas de vocês não se vê fascinada pelo mundo das cores e opta por uma carreira de colorista!. Espero que gostem e que ajude as colegas a compreender e dominar as tintas ;)




Brincar com as cores é mesmo uma tarefa para especialistas, mas antes de usar sua criatividade na elaboração de diferentes visuais, o profissional de salão deve aprender não só os segredos da harmonia das cores, como tudo sobre os efeitos da luz no processo da tintura dos fios.
Uma coloração é sempre resultante da mistura de, no mínimo, duas nuances: a original dos cabelos e uma nova tonalidade que será aplicada nos fios. Portanto, para quem deseja aventurar-se com os pincéis e dar asas à imaginação, transformando looks de uma hora para a outra, entender os princípios da colorimetria é mesmo fundamental. Trata-se de uma técnica capaz de explicar a cor, seus reflexos e, mais precisamente, os efeitos e leis que regem sua harmonia, sem esquecermos da ação da luz sobre o resultado final da tintura nos fios. Trocando em miúdos: esta ciência possibilita que os cabeleireiros dominem as misturas das cores com precisão para reduzir as mais variadas nuances, sem o risco de cometer estragos nas madeixas dos clientes. O primeiro passo é ter em mente que a cor natural do cabelo funciona como um ponto de partida para a obtenção de um novo tom desejado.
“É através dela que o colorista irá identificar que nuances deverá combinar ao longo do trabalho e que técnicas de aplicação das tinturas serão mais indicadas, já que uma tonalidade sempre influencia a outra. Por isso, quando o profissional não conhece as leis da colorimetria, acaba não alcançando o resultado esperado”.
Não é à toa que, antes de indicar uma coloração, o profissional deve conversar com a cliente para entender seus desejos e expectativas.
“Além de observar a personalidade, através de detalhes como a maneira de falar e se vestir, é preciso analisar a cor e o estado dos cabelos, assim como os tons de pele e dos olhos. Só assim será possível sugerir uma coloração em equilíbrio com o estilo e as características da pessoa, evitando frustrações”.

LUMINOSIDADE TOTAL

“O julgamento da cor depende da definição que podemos dar à luz e aos efeitos de sua radiação”. Afinal, tanto a luz natural quanto a luz artificial interferem diretamente nas cores dos cabelos.
“Quando os fios se mantêm sadios após a aplicação do tratamento químico, com as escamas fechadas, sua camada externa funciona como um espelho, refletindo a luz. Mas, se estiverem danificados e com as escamas abertas e eriçadas, ao invés de refletir, a luz irá destacar as irregularidades da cor. Resultado: fios opacos e sem vida”. Os especialistas em colorimetria são unânimes em afirmar que a noção de cor é subjetiva. Parece complicado de se entender, mas, na realidade, a cor em si não existe. Ela é apenas uma impressão da luz (conjunto de radiações eletromagnéticas imitadas pelo sol), que chega a nossa retina ocular. Portanto, não podem ser analisadas separadamente dos seres vivos. Traduzindo: são nossos olhos que recebem a luz e julgam a cor.
Aliás, esta também é variável, de acordo com a possibilidade de cada um.  
“Duas pessoas podem até receber o mesmo feixe luminoso, mas isso não quer dizer que estão lhe atribuindo o mesmo valor. Há, ainda, o caso daquelas que não são sensíveis a algumas cores, como as daltônicas”.
Como duas pessoas nem sempre percebem a cor do mesmo jeito, os cientistas criaram uma escala padrão para determinar as alturas dos tons, que determinam a intensidade da cor natural (ou artificial) dos fios de cabelo. Estes índices, expressados por números de 1 a 10, partem do mais escuro (preto) até o mais claro (louro claríssimo).
Guardar na memória a classificação ótica e o valor exato de cada uma dessas cores é muito importante, mas só na prática do trabalho realizado no dia a dia dos salões é possível adquirir essa segurança – base de todo bom processo de coloração.
As radiações eletromagnéticas emitidas pela luz situam-se dentro de um tipo de espectro, semelhante a um arco-íris em forma de leque, onde podemos encontrar diversas nuances – cada uma em seu lugar e com seu próprio comprimento de onda.
Hoje, aparelhos de alta precisão, como o Espectro Photo Metro, por exemplo, já permitem identificar cerca de 200 cores no espectro solar.

OS QUATRO GRUPOS DE CORES

1- Primárias: chamada de fundamentais ou dominantes, são as cores que não se decompõem e que, segundo as leis da colorimetria, permitem definir as secundárias. São elas: Azul, Vermelho e Amarelo.
2- Secundárias ou Complementares: originam-se da mistura de duas primárias. São elas: Verde (Amarelo com Azul), Roxo (Azul com Vermelho) e Laranja (Amarelo com Vermelho).
3- Cores Quentes: são as cores que os olhos percebem os reflexos alaranjados, dourados, acobreados, vermelhos ou acajus. Elas transmitem sensações de calor, lembrando o fogo e o sol.
4- Cores Frias: são as cores acinzentadas, irisadas e esverdeadas, que passam sensações psíquicas de frescor (como a água), e de frio (como o gelo).

AS LEIS DA COLORIMETRIA

1- Todo o complemento de uma cor fundamental é igual à mistura de duas outras. Assim: Verde complementar do Vermelho = Azul + Amarelo. Roxo complementar do Amarelo = Verde + Azul. Laranja complementar do Azul = Vermelho + Amarelo.
2 - As cores complementares e as fundamentais correspondentes opõem-se e se neutralizam entre si. Assim, o verde opõe-se ao vermelho e o neutraliza; o roxo opõe-se ao amarelo e o neutraliza; o laranja opõe-se ao azul e o neutraliza.
Sim, um cabelo colorido é sempre bonito.
Aliás, a cor é capaz até de alegrar e rejuvenescer um rosto.
Não é à toa que as mulheres estão sempre em busca de novas tintas e técnicas para mudar a cor das madeixas.
Por isso, os profissionais também devem aprimorar seus conhecimentos. Afinal, com a qualidade de informação a nossa disposição, não há mais desculpa para os clientes saírem do salão com os cabelos manchados ou estragados.

POR DENTRO DA COR

De um modo geral, uma coloração é composta por um suporte (creme ou emulsão), agentes cosméticos, agente de textura (que dão a consistência e proporcionam conforto na utilização do produto), estabilizantes anti-oxidante (para combater o processo de oxidação da cor), um agente alcalino (amônia, na maioria da vezes), além dos chamados precursores de corantes moleculares incolores, que se transformam em corantes no interior do fio de cabelo, quando o produto é misturado ao oxidante e se mistura com os pigmentos naturais, resultando na nova cor. Ou seja, é a oxidação dos precursores que permite a revelação dos corantes e, exatamente por isso, essas substâncias são denominadas corantes de oxidação.

PODER DE COBERTURA

É o grau de coloração dos cabelos brancos após a aplicação da tinta. Os pigmentos naturais são aqueles que compõem a cor natural dos cabelos. Já os pigmentos de reflexos são os artificiais que se revelam nos fios através do processo de oxidação dos precursores contidos nas fórmulas de coloração.

AS NUANCES DE REFLEXO

Possuem um poder menor de cobertura dos fios brancos, porque têm menos fundo. “Em caso de grande quantidade de brancos, aconselha-se misturar uma cor fundamental ou de base com a nuance de reflexo”.
Aprenda então quais são as nuances de reflexo:
Dourado = Amarelo
Dourado Quente = Amarelo + Ponta de Vermelho
Acaju = Vermelho + Amarelo
Cobre = Vermelho + Amarelo
Violine = Vermelho + Azul
Acinzentado = Azul
Cinza nacarado = Azul + Ponta de Vermelho
Cinza = Azul
Cinza Prateado = Azul + Ponta de Vermelho

O QUE O COLORISTA DEVE TER EM MENTE

Azul, vermelho e amarelo são cores fundamentais. Misturando-as, conseguimos obter as cores complementares verde, roxo e laranja.
É com todas elas que se faz a gama de reflexos das técnicas de coloração.
O castanho, em si, não existe.
Ele resulta da mistura de três cores fundamentais:
Azul + Amarelo = Verde
Verde + Vermelho = Marrom 
Quando o castanho não respeita o tempo de pausa suficiente durante a aplicação da tintura (evitando a revelação completa do colorante), dias depois, deixa reflexos esverdeados nos fios. Mais algumas lavagens e os cabelos podem ainda ganhar reflexos avermelhados.
Tinturas pretas ou castanhas também podem deixar a raiz dos fios avermelhada algumas semanas após a aplicação. Isso também pode acontecer quando o tempo de pausa não é respeitado pelo cabeleireiro, e não só pela ação do mar e do sol.
Após a descoloração, reflexos amarelados são neutralizados por colorantes violetas. Já os fundos alaranjados são neutralizados pelo cinza azulado.
Os Tons cinzas, combinados com dourados, resultam em cores esverdeadas.
Uma coloração, sozinha, não é capaz de clarear outras mais escuras. Por isso, o bom colorista também deve dominar técnicas de pré-pigmentação para abrir as cutículas dos fios, como a mordassagem e a decapagem.
Na hora de aplicar a coloração, o cabelo deve ser dividido a partir da parte posterior da cabeça (nuca), exceto quando há muitos cabelos brancos. Aí, a aplicação deve começar pelas áreas grisalhas.


Beijos a Todas!!!!

Leka

2 comentários:

tais roberta disse...

oi
tdo bem?
adorei sua explicação
obrigada
bjuss

Carla disse...

Sua explicação esta muito completa.Esclareceu bastante minhas dúvidas.
Bjs