quarta-feira, 2 de junho de 2010

PERGUNTAS E RESPOSTAS ...

Nesse post quero responder a algumas das perguntas que mais fazem sobre as cores, espero tirar as duvidas mas se sobrar alguma entre em contato via e-mail ou melhor deixe sua pergunta no comentário que terei prazer em responder e ajudar, então vamos lá...


O que é preciso para ser um excelente colorista?
Cinco anos de experiência, no mínimo, e pleno conhecimento da colorimetria, o que só é possível através de muito estudo. O bom profissional tem de aprender a olhar um cabelo e identificar a cor que está no córtex do fio, pois é ela que de fato interfere no resultado de uma coloração. A base interna é vermelha, azul ou cinza. O pigmento mais comum no cabelo brasileiro é o vermelho. Por isso, aqui é mais difícil chegar a um louro-claríssimo. Na Europa predominam o cinza e o azul - e as mulheres fazem reflexo para ganhar luminosidade.
Qual o maior equívoco que um colorista pode cometer?
Trabalhar sem medidas. O olho não sabe identificar a dose exata de água oxigenada. É preciso medição correta do produto e tempo de pausa seguido à risca. Do contrário, o cabelo pode manchar. Se eu usar uma coloração como a sete, que é louro-escuro, e tirar com apenas 20 minutos, essa tinta terá entrado na escama, na cutícula, mas e no córtex do fio? Se o ciclo completo pedir 35 ou 45 minutos é porque a cor certa depende disso.
Não existe cabelo que reage mais rapidamente?
Para descoloração, sim. Mas para coloração, não. As instruções do fabricante precisam ser seguidas à risca. Outro cuidado essencial é não pegar coloração de uma marca e oxidante de outra, por melhor que sejam as duas. Sei de experiência própria que não dá certo! Até por isso, na busca de tonalidades, também só se devem misturar cores de uma mesma marca.

A coloração pode derrubar o fio?
Pode danificar. Quando se usa volumagem exagerada, a cutícula arrebenta e o fio se parte. Vejo profissionais que querem, como dizem, \\'abrir\\' ou \\'acender\\' o cabelo, o que significa chegar a um tom mais claro. Pegam o peróxido, um produto usado para ser transformado em água oxigenada de 20, 30 e 40 volumes, e colocam puro sobre o fio. É como se fosse uma oxigenada de 130 volumes! Acaba com a fibra capilar. 
Quando você lança mão da tintura semipermanente e quando prefere a permanente?
Eu uso sempre a permanente para clareamento, lembrando que tinta não clareia tinta - requer antes uma limpeza dos pigmentos. A semipermanente é adequada para escurecer. Se uma cliente está com fios louros ou vermelhos, é possível escurecer sem usar água oxigenada, o que agride o fio já colorido. Na tintura permanente, o volume mínimo de água oxigenada é 20%, enquanto que na semi não chega nem a 3%. Em clientes que começam a ter fios brancos, essa última é a mais indicada, porque fixa superbem e cobre os grisalhos. 
Quais as outras opções para cobrir os brancos?
Se a cliente gosta de usar henna, tem de ser orientada que o branco fica avermelhado, seja qual for o tom aplicado. Para quem tem menos de 50% de brancos, o indicado é usar a coloração semipermanente. Se houver mais de 50%, o profissional precisa optar pela permanente, deixando uma base mais escura para cobrir bem os brancos e fazer reflexos claros para a fisionomia não ficar pesada. 
Há segredo para um bom retoque de raiz?
Sim. Todo mundo divide as mechas, trabalha uma lateral e depois a outra. Isso está errado porque a água oxigenada tem de agir em todo o cabelo ao mesmo tempo, para evitar que o clareamento fique desigual. O correto é começar pela nuca, porque nessa região a oxidação é mais lenta, e depois fazer o restante, por partes, de orelha a orelha.
Massagear o cabelo durante a coloração ajuda ou atrapalha?
Quando a gente coloca oxigênio dentro do fio, a escama incha e a cutícula se abre. Se o cabeleireiro faz massagem, pode danificar a fibra, causando pontas duplas. O melhor é não movimentar o cabelo. O que clareia é o oxigênio do ar, o da água oxigenada e a coloração. De nada adianta massagear as mechas. A única coisa que ajuda é não deixar o cabelo colado à cabeça, para que o oxigênio circule.

Qual sua opinião sobre acelerador de coloração?
Nunca cubro os fios com touca plástica porque ela impede que o oxigênio circule, o que pode estragar completamente o processo. Já o uso de luz infravermelha só é válido quando se usa descolorante sem amônia. A dobradinha descolorante convencional mais acelerador promove um desgaste exagerado do fio, da raiz às pontas. 
Cabelo poroso pode manchar?
Cabelo nenhum deve receber qualquer tipo de química se não estiver em boas condições, mas tem cliente que insiste. Antes é preciso fazer um tratamento, como queratinização, para tampar as fissuras do fio. Em Londres, uso um creme antiporosidade da L\\'Oréal imediatamente antes da coloração, que protege os fios e dá luminosidade. Serve tanto para os que estão danificados quanto para os sadios. No Brasil, onde não há esse tipo de produto, o ideal é fortalecer o fio com tratamentos prévios.
O que reza sua cartilha pós-coloração?
Sempre lavar com xampu de pH apropriado para depois dessa química, porque fecha a escama e segura a cor por mais tempo. E usar também uma máscara pós-coloração. Em Londres, costumo usar produtos da linha pós-color da L\\'Oréal. Aqui no Brasil, gosto muito dos da AlfaParf. Se o cabeleireiro não toma esse cuidado, a cliente que pintou o cabelo de vermelho ou preto dorme e acorda com o travesseiro todo manchado. É muito desagradável.

Qual a lição de casa para a cliente?
Adquirir e usar um kit para cabelos coloridos, a fim de conservar a cor bonita e vibrante por mais tempo. O ideal é lavar no máximo duas vezes por semana. Na Inglaterra eu uso uma linha de xampus tonalizantes da marca americana Artec, cuja formulação tem 80% de cor vegetal. Um achado, inclusive para o cabelo vermelho, o tipo que mais desbota. Preparo o xampu exatamente no tom que fiz no salão. A cliente leva para casa e o cabelo não perde a pigmentação, que vai sendo permanentemente reposta. Ela só volta ao salão para retocar a raiz. 
O que você recomenda para clientes que pegam praia ou piscina com freqüência?
Indico e uso azeite de oliva, ingrediente fantástico e barato. No Brasil, sugiro o de cozinha, da melhor qualidade possível. Em Londres, existe azeite próprio para cabelo, sem sal. A mistura de azeite e de leave-in forma uma barreira protetora no fio. Deve ser aplicada antes de ir à piscina porque as substâncias que limpam a água deixam o fio esverdeado. Na praia, a receitinha evita o clareamento fora do normal. 
Há regras de harmonização entre cor, idade e tipo físico?
Não existe regra, mas profissional e cliente devem trabalhar juntos quando for feita uma mudança. A coloração bem feita pode até esconder linhas de expressão, enquanto que uma má escolha deixa o semblante cansado. Em uma pessoa de 40 anos ou mais, uma coloração muito escura é desaconselhável. De forma geral, nas peles claras o avermelhado cai superbem. Pele morena com cor caramelo fica lindíssima. Gosto de acender as amarelas com tons quentes, como mel e caramelo. E a negra fica ótima com nuances caramelo e chocolate. Mas também é bonito negra de cabelo louro. Em Londres, sempre vejo negras africanas com cabelo relaxado e platinado. São elegantes, lindas. O conjunto do tipo físico, da personalidade e do estilo dá um resultado super-harmonioso.

"Um bom colorista tem de identificar a cor exata que está no córtex do fio pois é ela que interfere no resultado da coloração. Essa base interna pode ser vermelha, azul ou cinza".



Beijos amores!!!!!